era primavera

quando

era primavera

quando tua voz preencheu

a tarde vazia

era primavera

e tua voz veio como água de enxurrada

que lava tudo

quando

era primavera

e tua voz disse não

e eu disse

quando

e tua voz calou

a minha voz

insubmissa

quando

eu disse

era primavera

e intransigente tua voz

tua boca e tua língua disseram

quando

e risquei um traço

no tempo passado

e disse alto

quando

era primavera

teu sopro de timbre suave

insistiu ainda

difícil de aceitar

porque naquele

quando

naquele espaço de tempo

naquele instante perdido

era primavera

teu não se repetiu

e acabou com o silêncio

da sala de estar

e repetias sem norte

como uma louca

quando

 

e sozinho e tranqüilo

às quatro da tarde

de um dia com céu

parcialmente nublado

meu sim desistiu

quando

eu disse

era primavera

 

Anúncios