para G. B.

 

 

hoje é trinta e um de dezembro

há tempos que é ano novo

há tempos que te espero

nos meus tantos temporais

 

 

dezembro vai se fechando

assim como os teus olhos

um mês

um olhar

tanto faz quando acabam

 

 

dezembro lembra sempre

o irmão que nunca tive

o pai que já se foi

o filho que um dia deixarei

para contar os dezembros

que terminarão sem mim

 

 

hoje é dia trinta e um

dezembro vai terminando

pouco importam as horas

os meses ou os olhares

tomo tua mão como o ano

que chega

não deixo escapar

as horas que recolheremos juntos nessa madrugada

 

Anúncios