mais uma vez

aqui estamos

sentados os dois

junto à velha mesa

do jardim

 

 

te olho ao fundo

entre você e eu

descansa uma vida que já não temos

eu sorrio com um cinismo

que só serve de resposta

para teu silêncio intencional

 

 

eu falo

mas tu não escutas

eu repito o verso

explico a melodia escondida nas coisas

tu permaneces congelada

no meio da tarde

como uma flor morta

 

 

digo algumas palavras

que te pareçam íntimas

falo em francês

canto uma música que te lembre

um tempo

ou algum lugar onde sozinha ainda permaneces

 

mas nada de ti se precipita além da mesa

nenhum sopro ou resposta

 

 

eu grito

ao final eu grito contigo

mas tu não escutas

tu nem te importas

enquanto eu cubro o rosto

de raiva e vergonha

 

 

eu grito teu nome

mas tu não escutas

olhas pra mim

e vês o horizonte

enquanto eu bato na mesa

e grito em desespero

 

 

é quando percebo

que minhas palavras são nulas

também aos meus ouvidos

 

 

minha voz não sai

estás sozinha

e eu nem mesmo estou ali.

Anúncios