Acho justo o passarinho

Que me olha assustado

Do galho de ipê-amarelo

Que mancha o céu azulado

 

Sou interferência

No mundo das coisas

 

E a árvore

O céu

E o bichinho

Olham para a janela

Colecionando estranhezas

Diante de um eu atônito

Querendo ser natureza

Anúncios