Alemanha e Argentina farão no domingo a tão sonhada final da Copa do Mundo de 2014. Dois selecionados distintos, de escolas e estilos de jogo muito diferentes. A Alemanha chega como franca favorita e torcerei pelos germânicos por dois motivos: porque gosto de futebol e porque os argentinos não merecem ganhar com esse futebol que apresentam.

A Argentina fez uma campanha sem graça. Ganhou no aperto em todos os jogos, com gols salvadores e circunstanciais no final. Fez apresentações apáticas, sem encanto, sem nenhuma novidade tática. Ganhou por detalhes e nem Messi brilhou o quanto se esperava. Já a Alemanha aplicou duas grandes goleadas sobre Portugal e Brasil. Apresentou um jogo em bloco muito bem estruturado e difícil de ser batido. Sofreu com alguns adversários por serem retranqueiros e fechados, mas quando o jogo era franco e aberto a Alemanha sobrou. Quem gosta de futebol é só comparar os dois jogos de semifinais e decidir o que gostaria de assistir pelo resto da vida: a Alemanha de ontem ou a Argentina de hoje.

Já no quesito merecimento a seleção platina chegou à final no melhor estilo Parreirista (assim como o Brasil de 1994, que ganhou nos pênaltis depois de uma campanha insossa e duvidosa). Os Argentinos ganharam todos os jogos com diferença de apenas um gol, sendo que três deles foram por um a zero. O empate em zero a zero com os Países Baixos foi tedioso, com o incrível número de três chutes a gol nos 90 minutos. Mas tudo bem, gol nunca foi o forte da Argentina, um time de retranqueiros clássicos. Para efeitos de comparação, no total das copas, o Brasil fez 221 gols. A Alemanha colocou a bola nas redes 223 vezes. Os argentinos converteram em 131 oportunidades. Não tem nem graça. Nesta copa os Argentinos marcaram apenas 8 vezes, enquanto brasileiros marcaram 11 gols e alemães 17.

Não é questão de ser latino-americano, de a Argentina também não ser um país de alto grau de desenvolvimento, da Alemanha poder ser tetracampeã caso ganhe. Sem maniqueísmo. Não tem nenhuma questão emocional em jogo, até porque no quesito simpatia os friorentos alemães estão dando outro show de interação e respeito, diante da pequenez de espírito de muitos torcedores argentinos.

A grande questão é que a Alemanha fez uma campanha melhor. Merece ganhar. Se for campeã, daqui a anos, diremos que ela ganhou em uma campanha audaciosa, bonita, com goleadas, coroando uma geração de ouro. Se a Argentina for campeã vamos dizer o que?  

Anúncios